Trabalho pastoral

A essência de todos as pastorais é cuidar dos outros segundo o exemplo de Cristo, para juntos encontrar o caminho nas questões de fé e vida. Os fráteres trabalham com diversas formas de pastorais.

Pastoral na prisão de São Joaquim de Bicas (Brasil)

Em dezembro de 2009 começou um grupo do Movimento da Misericórdia em São Joaquim de Bicas, numa maneira simples e numa forma improvisada com visitas semanais aos prisioneiros. Foi desde a abertura da ‘Prisão Albergaria Professor Jason Soares’, que a igreja católica oficialmente se mostrou pela primeira vez. Ao longo dos anos o trabalho com os prisioneiros desenvolveu- se de forma promissora, especialmente depois de fundar um centro de serviço, chamado APC. O objetivo principal da pastoral do prisioneiro é visitar as pessoas e conhecê-las em sua depressão e suas necessidades urgentes, como por exemplo, higiene.

“Trabalhar na prisão é um desafio com poucos sucessos e às vezes com decepções duradouras. Os trabalhadores pastorais na prisão são fortemente influenciados por seus contatos porque eles entram no mundo do sofrimento dos outros. Muitas vezes são emocionalmente envolvidos com os prisioneiros. Cada vez mais profundamente experimentam a frase do Evangelho: “Eu fui preso e você me visitou” (Mateus 25). Quem é mais enriquecido com este trabalho: o preso ou o trabalhador pastoral?” – Frater Henrique Cristiano José Matos, Brasil

Fundo de Bem Estar do Padre Grol (Quênia)

Frater Linus Schoutsen trabalha desde 1998 na pastoral do prisioneiro.  Atualmente ele é coordenador do Fundo do Bem Estar do Padre Grol (Fr. Grol’s Welfare Trust). Esta fundação trabalha com a organização do Sistema Prisional do Quênia.  Frater Linus, um missionário com raízes Holandesas, é um fervoroso defensor dos direitos dos prisioneiros. Sua equipe mobiliza fundos e recursos que lhes permitem oferecer aos presos estudos para profissionalização, e também oferecem facilidades de lazer, livros, revistas, óculos, voleibol, futebol, ferramentas, roupas, sapatos, remédios e orientação. Estas facilidades trouxeram um ambiente diferente para algumas prisões do Quênia. O ideal é que todas as prisões tenham um programa de aprendizagem. Para conseguir isso, a fundação lançou em 2000 um programa para a educação de adultos nas prisões de Quênia.

“Os prisioneiros fizeram de mim um melhor Frater religioso. Alguns presos encorajam os outros a não perderem a esperança e mostram misericórdia com seus companheiros presos como também àqueles que têm problemas psicológicos. Quando olho para mim, eles realmente me desafiam para ser um bom cristão” – Frater Linus Schoutsen, Quênia.

Pastoral na paróquia

O voluntariado é uma parte importante da missão. Tem uma tradição muito longa na nossa congregação. Em outras palavras, o voluntariado é essencial na nossa missão de misericórdia.

Muitas atividades voluntárias ocorrem no contexto da paróquia. Estes incluem o acompanhamento dos acólitos, dirigir corais ou participar de um coral paroquial, preparar para a primeira comunhão e a crisma, acompanhar grupos de oração, dar comunhão aos doentes em casa e prestando assistência durante as celebrações.

Pastoral juvenil

Em vários países, os fráteres estão ativamente envolvidos com os ‘Embaixadores da Fraternidade Mundial’, uma forma de pastoral juvenil. Dada a importância deste projeto e seu caráter internacional, o trabalho juvenil dos fráteres tem uma pagina separada neste site.